<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX WESTCON-COMSTOR
Toda informação da tecnologia está aqui.

5 obstáculos que devem ser superados para uma efetiva segurança de endpoint

Garantir que todos os dispositivos dos usuários conectados à rede corporativa sejam gerenciados e protegidos pela TI não é uma tarefa fácil. É necessário enfrentar alguns desafios. 

Atualmente, definir em qual perímetro do ambiente corporativo devem ser implementadas soluções de segurança é uma tarefa difícil, devido a enorme quantidade de dispositivos móveis conectados e serviços disponíveis utilizados na nuvem.  

Por isso proteger endpoints contra ameaças cibernéticas tornou-se uma das principais prioridades das equipes de TI nos últimos anos. É necessário ter visibilidade e controle de todo os endpoints independentemente de onde os usuários estiverem. 

Com isso, a segurança de endpoints tornou-se fundamental. Ela visa justamente proteger todos os pontos de extremidade (endpoints) corporativos conectados à rede contra ataques e violações para que os usuários possam realizar um acesso remoto eficiente e seguro. 

No entanto, para ter uma segurança de endpoint de sucesso, as empresas precisam superar alguns obstáculos. Confira a seguir quais são eles e como seu canal de TI pode ajudar seus clientes nessa missão. Boa leitura!  

O que é segurança de endpoint? 

Endpoint é o termo utilizado para representar os dispositivos finais que estão conectados ao terminal da rede corporativa, como os smartphones, tablets e notebooks dos colaboradores. Portanto, segurança de endpoint representa um conjunto de medidas para manter as ciberameaças distantes desses aparelhos. 

Garantir que os endpoints utilizados pelos usuários estejam em segurança, mesmo quando utilizados fora do escritório da empresa é fundamental, pois o número de ataques e tentativas de golpes estão se multiplicando nos últimos anos. 

De acordo com uma empresa de segurança virtual que monitora ações de hackers na América Latina, são 600 novos tipos de golpe criados todos os dias. No ano passado, devido a pandemia do coronavírus e o aumento do trabalho remoto, as tentativas de invasão por ransomware aumentaram significativamente. O Brasil é líder absoluto como o país que mais recebeu ataques (56%); em seguida, aparecem México (28%), Colômbia (7,3%), Peru (5,4%), Argentina (1,9%) e Chile (1,6%). 

Além disso, muitos cibercriminosos estão se aproveitando desse momento para driblar os sistemas de proteção e roubar informações. Uma das principais ameaças virtuais é o phishing  

Desse modo, como a tarefa de monitorar e gerenciar todos os dispositivos dos usuários é um desafio cada vez maior para as equipes de TI, principalmente remotamente, é fundamental adquirir uma solução de segurança de endpoint para evitar que esses problemas aconteçam. 

Um sistema de proteção endpoint é um software com recursos que visam proteger os equipamentos utilizados, a rede corporativa e suas informações. Ele tem a função de detectar, prevenir e responder a possíveis invasões ou programas maliciosos. 

Quais obstáculos na segurança de endpoint devem ser superados? 

Garantir a proteção dos endpoints conectados à rede corporativa nunca foi tão difícil, em grande parte devido à proliferação no número e tipo de dispositivos utilizados 

De fato, um estudo concluiu que as empresas utilizam 17 categorias diferentes de dispositivos endpoint - de desktops, a cargas de trabalho de servidores (virtualizados ou físicos), serviços e aplicativos baseados em nuvem, a dispositivos móveis e dispositivos IoTentre outros. 

Cada categoria de dispositivo representa um desafio de segurança único: Por exemplo, as explorações que visam roteadores são muito diferentes daquelas que atacam dispositivos móveis ou IoT 

Além disso, cada categoria de dispositivo inclui ofertas de vários fornecedores, multiplicando a complexidade do cenário de ameaças. O efeito líquido é que as equipes de TI ficam sobrecarregadas e incapazes de acompanhar o ritmo de gestão dos pontos finais. 

Por isso, os líderes de TI precisal lidar com uma série de desafios na segurança de endpoints. Diariamente, eles precisam enfrentar uma série de obstáculos, incluindo soluções legadas inadequadas, força de trabalho dispersa, políticas de "bring-your-own-device" (BYOD), e uma urgente escassez de profissionais com habilidades de segurança. 

Quero descobrir!

Confira a seguir os principais obstáculos detalhados: 

Obstáculo 1: Soluções legadas inadequadas 

Um dos principais obstáculos enfrentados pelos profissionais de TI é a inadequação dos sistemas de segurança legados. As soluções projetadas para redes de geração anterior são ineficazes para gerenciar segurança para os novos dispositivos endpoint que são dinâmicos e versáteis 

Além disso, a maioria dos dispositivos atuais possuem soluções de segurança em silos localizados, o que os impede de se conectarem ou comunicando-se com outras partes da arquitetura de segurança mais ampla. Como resultado, não podem receber ou compartilhar informações sobre ameaças de dia zero, o que acaba inibindo a resposta a amplos ataques e violações. 

A complexidade da rede e dos muitos sistemas de segurança atuais também dificultam o trabalho da TI, tornando difícil a identificação de intrusões no início do ciclo de vida do ataque. 

Obstáculo 2: Falta de visibilidade 

Como uma extensão do problema de complexidade, o grande número de dispositivos conectados à rede atrapalha a visibilidade em todos os pontos finais e a capacidade de gerenciar riscos.  

Além disso, as estratégias tradicionais de segurança oferecem uma visibilidade limitada dodispositivos conectadosPortanto, para melhorar a proteção endpoint, as equipes de segurança cibernética devem superar o desafio de ver tudo. 

A lista do que precisa ser visível é extensa: todos que têm acesso à rede, que tipos de dispositivos estão conectados, quais as versões instaladas de sistema operacional, vulnerabilidades não corrigidas, tráfego associado, todo o software sendo utilizado, etc. 

Outro ponto preocupante que deve ser considerado é quando os endpoints se desconectam e depois se reconectam à rede. Pesquisas mostram que 63% das organizações são incapazes de monitorar os dispositivos endpoint quando saem da rede corporativa, e 53% revelam que os endpoints infectados por malware aumentaram nos últimos 12 meses.  

Como o número de usuários e dispositivos que saem e voltam para a rede corporativa aumenta, a dificuldade em garantir que esses pontos finais estejam protegidos também se eleva.  

Obstáculo 3Tendência BYOB 

Os endpoints não são mais uma extensão unificada da infraestrutura de TI corporativa. A tendência do BYOD vem se intensificando cada vez mais entre as empresas e, embora proporcione muitos benefícios, aumenta o perigo da cibersegurança 

Um dispositivo roubado ou um colaborador sem conhecimento das melhores práticas de proteção não só colocam em risco a segurança local, como também a segurança da rede. Por exemplo, quando a organização não determina políticas de segurança focadas em BYOB, pode sofrer com usuários que clicam em e-mails com phishing ou fazem download de conteúdos que contém malwares ocultos. 

Obstáculo 4: Shadow TI 

Shadow IT é o termo utilizado para se referir a todos os softwares e hardwares que os usuários instalam na rede sem o conhecimento da equipe de TI. 

Essa tendência pode complicar ainda mais o processo de proteção da rede empresarial e dos endpoints conectados, pois, aumenta ainda mais os componentes de rede fora da infraestrutura visível e, portanto, não podem ser gerenciados de forma eficaz. 

Obstáculo 5: Escassez de profissionais capacitados 

Um dos principais obstáculos enfrentados pelas empresas nos últimos anos é a falta de pessoal treinado em cibersegurança.  De acordo com o Gartner, 63% das organizações indicam que a falta de habilidades de segurança é uma grande preocupação para elas, e 58% dizem ter funções de segurança cibernética não preenchidas. 

Embora estas conclusões não sejam específicas para a segurança de endpoints, a incapacidade de contratar e manter profissionais de segurança altamente qualificados dificulta os esforços dos gerentes de TI para tratar de todos os aspectos da segurança cibernéticaincluindo a proteção de endpoints 

Portanto, a terceirização para provedores de serviços de segurança pode ser excelente método alternativo de acesso aos talentos necessários para garantir a cibersegurança total da rede corporativa. 

Como você pôde perceber, há inúmeros desafios a serem enfrentados pelas empresas para garantir uma efetiva proteção de endpoints. Portanto, seu canal de TI deve investir em soluções de segurança modernas e capazes de oferecer visibilidade e o suporte necessário para que todos esses obstáculos possam ser superados. 

Posts relacionados

Endpoint Detection and Response: o que é e quais os benefícios de uma solução EDR?

O antivírus tradicional não é mais suficiente para controlar as ciberameaças modernas. Por isso, as empresas precisam investir em soluções inteligentes para proteger todos os endpoints conectados à rede. 

Vazamento de dados: o que as empresas podem fazer para se proteger?

O número de ciberataques tem aumentado rapidamente com o trabalho remoto. Veja como as empresas podem proteger suas informações e garantir a continuidade dos negócios.  

Como garantir a segurança de ambientes de Hybrid Multicloud?

O maior desafio de todos os negócios modernos é como proteger esses ambientes híbridos e com várias nuvens contra ameaças potenciais. 

Escreva seu comentário