BLOG TD SYNNEX
O blog dos negócios de TI.

6 melhores práticas para segurança de Edge Computing

Acompanhe 6 práticas que podem ajudar as empresas a promoverem mais segurança de Edge Computing, tornando os processos mais protegidos contra ataques virtuais e invasões. 

A Edge Computing ou Computação de borda é apontada pelo Gartner como uma tendência altamente promissora entre as organizações que buscam aproveitar a IoT (Internet das Coisas) e os aplicativos de negócios nativos da nuvem. 

Leia mais sobre essa e outras tendências importantes para seu negócio: 

A International Data Corporation prevê que até 2023, ao menos 50% das empresas da nova estrutura de TI, implementarão a Edge Computing para otimizar processos e usufruir de todas as vantagens que a tecnologia tem a oferecer, ao invés de utilizar os data centers corporativos. 

No entanto, diante da aceleração da Transformação Digital e de tudo aquilo que a pandemia desencadeou, surgiu uma série de preocupações quanto a segurança de Edge Computing, principalmente por ser um dos maiores investimentos da TI. 

Neste artigo, você acompanhará os seguintes tópicos: 

  • Melhores práticas para promover a proteção de computação de borda; 
  • Considerar as principais preocupações de segurança; 
  • Alinhar a Edge as demais estratégias de proteção; 
  • Contar com o método Zero Trust; 
  • Priorizar o gerenciamento de patches; 
  • Contabilizar os ativos da TI; 
  • Aproveitar tecnologias aprimoradas. 

Continue lendo o artigo! 

Foram desafios que apareceram, principalmente, devido a explosão de dispositivos na borda da rede que expandiu significativamente a superfície de ataques virtuais das empresas. 

Em outras palavras, o aumento de dispositivos trouxe novas oportunidades para que os hackers conseguissem invadir os sistemas, protagonizando ciberataques de alta proporção. 

Além disso, muitos dos servidores e sistemas de armazenamento adotados pelas empresas para o processamento de borda estão se transformando em alvos, devido aos dados críticos que conseguem conter. 

Leia o e-book

 

Diante desse cenário altamente tecnológico e suscetível a ataques cibernéticos, as empresas devem atuar com melhores práticas para garantir a segurança da Edge Computing! Saiba mais a seguir: 

6 melhores práticas para promover a proteção de computação de borda 

Embora muitas empresas queiram usufruir das vantagens proporcionadas pela Edge Computing, poucas se atentam a segurança, devido ao imediatismo de obter dados e serviços cada vez mais aprimorados. 

Em vista destas dificuldades, os profissionais precisam recorrer a estratégias recomendadas que poderão ajudar na missão de mitigar os riscos, tais quais as que listaremos abaixo: 

1. Considerar as principais preocupações de segurança

O primeiro passo é considerar quais são as principais dificuldades e preocupações de segurança no âmbito corporativo, observando os fluxos de projetos, ferramentas e dados usados. 

É uma etapa necessária para conferir se as cargas de trabalho estão funcionando adequadamente, além de ter a certeza de que existem maneiras mais ágeis de governar e aplicar as políticas adaptadas às demandas das organizações.  

2. Alinhar a Edge às demais estratégias de proteção

Para que a computação de borda seja implementada corretamente e promova a segurança que tanto promete, as empresas devem alinhá-la às demais estratégias de cibersegurança.  

Isso significa que as estratégias de Edge deverão acompanhar o mesmo nível de proteção, redundância e visibilidade de serviço dos demais.  

3. Contar com o método Zero Trust

A metodologia Zero Trust Network ou Rede de Confiança Zero permite que as empresas consigam mitigar os riscos em seu ambiente.  

Trata-se de uma prática de proteção eficiente que consegue proporcionar mais segurança na rede contra ataques cibernéticos. 

Isso acontece, pois o Zero Trust se concentra no conceito de eliminar a confiança da arquitetura de rede de uma organização, incorporando um monitoramento de segurança abrangente.  

Além disso, também promove a automação de segurança do sistema de maneira coordenada, sem contar que exige verificações rigorosas de identidade. 

4. Priorizar o gerenciamento de patches

É preciso ser agressivo em relação ao gerenciamento de patches! Isso significa que as corporações devem utilizar ferramentas de monitoramento e gerenciamento, a fim de garantir que os sistemas sejam devidamente configurados, de acordo com os projetos pré-estabelecidos pelas empresas.  

Sendo assim, as empresas que desejam adotar a Edge ou já fazem isso, devem desenvolver seus próprios padrões de configuração seguros, priorizando o monitoramento e a correção dos dispositivos. 

Atualizar constantemente os softwares de segurança também faz toda a diferença para proporcionar mais segurança nos ambientes de borda.  

5. Contabilizar os ativos de TI

Contabilizar os ativos de TI é fundamental para não abrir “brechas”, permitindo que os hackers consigam invadir os sistemas por meio de ataques virtuais. 

É uma alternativa bastante viável para proteger os processos, principalmente porque muitos profissionais costumam desconsiderar a TI e a necessidade de proteger os sistemas e a IoT que implementam. 

Essa desconsideração acontece devido a urgência de procurar melhores maneiras de fazer o trabalho na borda.  

6. Aproveitar tecnologias aprimoradas

Usufruir da tecnologia de software livre tende a ser uma boa solução de computação de borda. 

É uma estratégia que fornece a capacidade de inovar e lidar com a diversidade de equipamentos e dispositivos disponíveis no mercado, a fim de oferecer a liberdade para executar programas variados quando for preciso.  

Conclusão: 

A Edge Computing está sendo cada vez mais necessária e procurada pelas empresas que desejam modernizar seus processos.  

No entanto, embora a computação de borda seja fundamental, há muitos desafios que precisarão ser enfrentados ao passo que a Transformação Digital acelera. 

Uma abordagem bem estruturada e abrangente para a computação de borda pode manter as cargas de trabalho atualizadas e protegidas.  

Mitigar as preocupações mais comuns na Edge Computing é a melhor solução, principalmente, porque as empresas precisarão sempre seguir essa abordagem de deixar a borda mais segura para adequar os negócios. 

80f01a82-lp-digital-02_10000000lr0gn000000028
ESPAÇOS DE TRABALHO DIGITAIS. CONHEÇA TUDO SOBRE ESTA NOVA ESTRATÉGIA COLABORATIVA.
Saiba mais

Escreva seu comentário

Posts relacionados

Por que ofertar soluções sob demanda de segurança na nuvem para os clientes?

A Computação em Nuvem assumiu um importante papel nos negócios. Com isso, as revendas precisam ter mais opções de soluções sob demanda para ofertar a seus clientes. 

Atividades ilícitas e criptomoedas: qual o impacto na cibersegurança?

O número de atividades ilícitas e criptomoedas tem crescido amplamente. No entanto, de que maneira essas ações podem impactar na cibersegurança das empresas? Descubra a seguir! 

Edge Computing: 5 armadilhas que as empresas precisam evitar!

Há alguns contratempos de Edge Computing que podem passar despercebidos em muitas empresas. Descubra quais são neste artigo.