BLOG TD SYNNEX
O blog dos negócios de TI.

Como equilibrar segurança e inovação em TI?

Para encontrar um equilíbrio entre agilidade, inovação e segurança, é imperativo que os CISOs e os líderes de segurança da informação analisem atentamente o fator pessoas.


Um dos desafios que as equipes de gerenciamento de riscos de TI e segurança da informação enfrentam é que as práticas e os requisitos de segurança de toda a empresa são frequentemente vistos como um obstáculo à agilidade e inovação organizacional.

Uma das maneiras pelas quais as equipes de segurança e TI podem encontrar um equilíbrio entre agilidade, inovação e segurança é que os membros de ambas as equipes desenvolvam um entendimento mais profundo do que os clientes internos (funcionários) fazem. Dessa forma, possam agregar valor como consultores confiáveis ​​no desenvolvimento de aplicativos e outras funções corporativas para ajudar cada um desses grupos a atingir seus objetivos.

Felizmente, o uso de tecnologias emergentes, como Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning, pode ajudar a aumentar o gerenciamento de riscos de TI e as equipes de segurança da informação.

A Nuvem interrompeu a maneira como as organizações se envolvem com os clientes, permitindo interações mais fortes e íntimas. E para as empresas inovadoras que impulsionam esse tipo de interrupção digital, construir confiança é a chave para colher os benefícios advindos desse novo nível de intimidade.

Conheça o K•NOW!

Compreendendo o fator humano

Ao se esforçar para encontrar um equilíbrio entre agilidade, inovação e segurança, é imperativo que os CISOs e os líderes de segurança da informação analisem atentamente o fator pessoas. Afinal, as motivações e comportamentos por trás das ações que as pessoas realizam no local de trabalho podem ter um impacto dramático na capacidade de uma organização de ser ágil e inventiva.

O fator humano na ponte entre inovação e segurança também se refere ao cultivo de uma mentalidade de segurança em toda a empresa. O desenvolvimento de uma mentalidade de segurança precisa fazer parte da cultura organizacional, pois leva tempo para desenvolver essa mentalidade.

Também é importante que os CISOs e as equipes de segurança forneçam educação regular sobre conscientização de segurança que possa ter o maior impacto para ajudar a manter a mentalidade de segurança em mente para os funcionários de toda a empresa.

É preciso revisar constantemente o cenário de ameaças para entender os ataques mais recentes para garantir que o treinamento seja atualizado, para que os funcionários sejam instruídos e preparados para ajudar a proteger a organização. O foco do treinamento precisa estar em influenciar o comportamento. O conteúdo é importante, mas também é fundamental revisar as atuais e testar novas técnicas de comunicação, como gamificação, treinamento interativo etc.

Cultura de inovação

Para inserir uma cultura de inovação entre as equipes corporativas de gerenciamento de riscos de TI e cibersegurança, é importante comunicar que cada membro da equipe desempenha um papel crítico na contribuição e no fortalecimento de uma cultura inovadora.

Os membros da equipe também devem ser instados a compartilhar novas informações que aprenderam ou encontrar para a equipe explorar. Alcançar a harmonia entre agilidade e inovação com práticas de segurança é uma questão de simetria. Ou seja, ajudar a empresa a executar sua estratégia enquanto gerencia os riscos adequadamente para obter uma vantagem competitiva.

2 dicas para criar confiança e inovar

Se criar confiança enquanto inovar é algo difícil, como você pode encontrar o equilíbrio certo? Os dois pontos a seguir são um bom ponto de partida à medida que você desenvolve novos canais de engajamento e avalia novas funcionalidade:

1. Comunicação excessiva

Em alguns casos, você pode achar que precisa acessar dados pessoais, como o endereço de e-mail ou o número do cartão de crédito de um cliente. Quando isso acontece, é importante comunicar claramente aos clientes quais dados você precisa acessar, por que você precisa desse acesso, como os usará e as informações que vêm dele.

2. Faça o compartilhamento valer a pena

Embora você não deseje exagerar na coleta de dados de clientes, em muitos casos, você precisará desses dados para interagir adequadamente com os usuários e resolver completamente seus problemas ou fornecer valor agregado.

Quando isso acontece, no entanto, você precisa se certificar de usar as informações que os clientes compartilham de uma maneira que forneça um valor genuíno para eles em troca. No final do dia, as pessoas pesam o que querem dar em termos do que receberão em troca.

Inovação sem confiança não vai muito longe

A inovação é fundamental para se manter competitivo, especialmente no atual cenário digital baseado em Nuvem. Mas essa inovação não significa nada se fizer com que você perca a confiança de seus clientes. Como resultado, você precisa equilibrar esses dois fatores para que eles avancem de mãos dadas.

80f01a82-lp-digital-02_10000000lr0gn000000028
ESPAÇOS DE TRABALHO DIGITAIS. CONHEÇA TUDO SOBRE ESTA NOVA ESTRATÉGIA COLABORATIVA.

Escreva seu comentário

Posts relacionados

3 tendências emergentes de ameaças cibernéticas para os próximos anos

O número de ameaças cibernéticas está crescendo consideravelmente. Veja quais são as tendências para o futuro: 

O que esperar para o futuro da segurança de rede e como se preparar?

Em meio a tantos desafios, o que as empresas devem esperar para o futuro da segurança de rede? Descubra no artigo de hoje!  

Seis mitos que se tornaram desafios de segurança para as empresas

A transformação digital vem se acelerando. A computação em nuvem e as exigências do trabalho remoto, que a pandemia evidenciou e tornou mais críticas e urgentes, levam a um cenário em que a segurança desponta como a principal questão para a TI nas empresas.