BLOG TD SYNNEX
O blog dos negócios de TI.

Como garantir a cibersegurança trabalhando de casa?

Empresas estão adotando, cada vez mais, o trabalho remoto como principal modelo de trabalho. Descubra como garantir que os dados e sistemas corporativos sejam protegidos nesta modalidade. 

 

Devido ao distanciamento social imposto pela pandemia, as empresas precisaram que se adaptar ao trabalho remoto para garantir a continuidade de seus negócios. Dessa forma, muitos funcionários passaram a trabalhar em casa, acessando dados e redes corporativas por meio de redes domésticas. 

Porém com tantos funcionários trabalhando remotamente, garantir a proteção de todo o ambiente tornou-se um grande desafio. Como resultado, a cibersegurança dos sistemas corporativos tornou-se uma das principais preocupações das empresas neste momento.  

Diante dessa situação, as empresas precisaram se preparar para oferecer os recursos e tecnologias necessários para que os funcionários continuem trabalhando da melhor forma possível. Além de fornecer à equipe os dispositivos e acessos necessários, as empresas precisam garantir a segurança de suas informações. 

Você sabe como fazer isso? Para proporcionar cibersegurança para toda a infraestrutura corporativa em acesso remoto, é fundamental tomar alguns cuidados. Saiba mais sobre o assunto. 

Desafios de segurança da informação e trabalho remoto 

A maioria das empresas teve sua rotina totalmente transformada, além de sofrer diversos impactos negativos nos negócios devido ao contexto atual. Isso aconteceu pela necessidade de migrar para o modelo de trabalho remoto a fim de dar continuidade às atividades e, ao mesmo tempo, cumprir as regras de distanciamento social.  

Essa mudança de cenário exigiu que as organizações se adaptassem e começassem a implementar ferramentas modernas de cibersegurança para evitar ataques de criminosos cibernéticos cada vez mais inteligentes e bem-sucedidos. Tornou-se necessário garantir que todos os funcionários pudessem trabalhar em casa com segurança e privacidade de dados.    

 

No entanto, esse tem sido um grande desafio, pois, para trabalhar em casa, os colaboradores dessas empresas estão utilizando diversas soluções tecnológicas, como drives compartilhados, software de videoconferência, ferramentas de gerenciamento de projetos, entre outros. 

De acordo com a Gartner: 

“Até 2021, mais da metade das empresas converterá e ampliará suas ferramentas e processos de força de trabalho remota ad hoc pensadas para a crise em uma estratégia de longo prazo, sem atualizar os controles de segurança relevantes. Os líderes de segurança e gerenciamento de risco, incluindo Diretores de Segurança da Informação, responsáveis pela segurança da infraestrutura, devem: 

  • Perfis de segurança derivados dos impactos da prática de trabalho remoto nos padrões de tráfego para ajustar as capacidades de prevenção, detecção e resposta.
  • Construir arquiteturas de segurança de trabalho remoto, analisando os perfis de funcionários atuais e futuros, incluindo fluxos de trabalho de negócios multifuncionais, questões técnicas, como terminais e restrições de rede, arquiteturas de aplicativos e questões de dados, como classificação e governança.
  • Crie perfis de segurança inclusivos por:
    - Realizar avaliação de postura de segurança para todos os casos de uso de trabalho remoto, incluindo quando a função de um funcionário é mal adaptada ao trabalho remoto ou quando os requisitos de conformidade exigem controles de segurança rigorosos.
    - Revisar as opções de tecnologia de segurança disponíveis para cada componente dos padrões de tráfego de trabalho remoto, de clientes de endpoint à segurança de dados, e revisar as opções de análise de segurança para computação e comunicação de uma empresa principalmente fora das instalações.” 

 ("Gartner, Designing Security for Remote-Work-First Enterprises, 30 de junho de 2020, Jeremy D'Hoinne, De'Onn Griffin e Rob Smith.”) 

 Algumas empresas precisam aumentar dez vezes - algumas, cem vezes - o acesso remoto à sua infraestrutura. As lições aprendidas com a crise serão úteis para identificar falhas. No entanto, soluções rápidas nem sempre são boas a longo prazo. 

Portanto, projetar a segurança para trabalho remoto requer revisar onde e como os líderes de gerenciamento de risco e segurança, incluindo Diretores de Segurança da Informação, direcionam seus esforços. Eles precisam se concentrar nas práticas de trabalho em casa, restrições de tecnologia, aplicativos e dados para criar um software de segurança escalonável para esses funcionários. 

 A segurança do trabalho remoto não pode mais ser considerada uma preocupação secundária. Isso já faz parte do “Novo Normal” e, para isso, as equipes de segurança precisam se preparar para novos modelos de cibersegurança que priorizem o trabalho remoto e em nuvem. 

 

80f01a82-lp-digital-02_10000000lr0gn000000028
ESPAÇOS DE TRABALHO DIGITAIS. CONHEÇA TUDO SOBRE ESTA NOVA ESTRATÉGIA COLABORATIVA.

Escreva seu comentário

Posts relacionados

3 tendências emergentes de ameaças cibernéticas para os próximos anos

O número de ameaças cibernéticas está crescendo consideravelmente. Veja quais são as tendências para o futuro: 

O que esperar para o futuro da segurança de rede e como se preparar?

Em meio a tantos desafios, o que as empresas devem esperar para o futuro da segurança de rede? Descubra no artigo de hoje!  

Seis mitos que se tornaram desafios de segurança para as empresas

A transformação digital vem se acelerando. A computação em nuvem e as exigências do trabalho remoto, que a pandemia evidenciou e tornou mais críticas e urgentes, levam a um cenário em que a segurança desponta como a principal questão para a TI nas empresas.