BLOG TD SYNNEX
O blog dos negócios de TI.

Como preparar a TI para o modelo de trabalho híbrido?

Jornadas de trabalho flexíveis chegaram para ficar. No entanto, implementá-las pode ser desafiador. Descubra como preparar a TI para o modelo de trabalho híbrido ser eficaz.   

A pandemia impactou a dinâmica das relações de trabalho e fez com que as empresas buscassem soluções e estratégias para dar continuidade às suas atividades corporativas. Para não prejudicar os negócios, nem expor as equipes ao contágio do vírus, o trabalho híbrido tornou-se a metodologia mais implementada entre as corporações. 

A jornada híbrida consiste em oferecer mais flexibilidade e autonomia aos profissionais, permitindo que escolham como e onde realizarão suas atividades. 

Neste material, você acompanhará os seguintes tópicos: 

  • Implementar o trabalho híbrido pode ser um desafio para muitas empresas;  
  • Como preparar a TI para a jornada de trabalho híbrido?   
  • Pensando no trabalho remoto;  
  • Adotando ferramentas de colaboração efetivas;  
  • Reformulando as políticas corporativas;  
  • Aumentando o investimento em cibersegurança. 

Agora, se você deseja uma contextualização maior sobre o assunto, não deixe de conferir estes conteúdos: 

Inquestionavelmente, esse modelo de trabalho flexível chegou para ficar e já faz parte da realidade de muitas empresas. No entanto, sua adoção também tem demandado soluções fluídas e dinâmicas. 

Em vista disso, de acordo com um levantamento realizado pela FindUP, o trabalho híbrido e o home office aumentaram em 142% a procura por atendimento em TI, somente em 2021. 

Implementar o trabalho híbrido pode ser um desafio para muitas empresas 

Segundo o estudo “Impacto da Covid-19 na cultura e operação das PMEs brasileiras”, cerca de 52% dos participantes acreditam que a produtividade aumentou com a adoção do trabalho híbrido e/ou remoto. 

No entanto, também reconheceram que enfrentaram diversos obstáculos e desafios para promover uma implementação efetiva e segura. 

Infraestrutura de TI, conexão com à internet e soluções de cibersegurança, são alguns dos fatores que fazem toda a diferença para que a jornada híbrida, de fato, funcione. 

A segurança digital, por exemplo, deve ser observada com sucesso, uma vez que o cibercrime na América Latina deve se intensificar em 2022, explorando as vulnerabilidades dos ambientes híbridos. 

Além disso, as equipes, em meio à pandemia, passaram mais de um ano trabalho em home office. Com isso, qualquer mudança para o formato de trabalho híbrido precisa reconhecer essas transformações e incorporá-las à experiência dos usuários.  

Sendo assim, é importante trabalhar com consistência e previsibilidade, garantindo que os negócios funcionem no ritmo, por meio de uma liderança forte, estratégica e progressiva. 

Acesse e saiba mais

Como preparar a TI para a jornada de trabalho híbrido?  

A TI precisa contar com soluções, estratégias e ferramentas eficientes, para promover cargas de trabalho flexíveis, seguras e dinâmicas para mover os negócios.  

Afinal, de que modo os líderes de TI podem implementar políticas híbridas e remotas que beneficiam seus funcionários a longo prazo? 

  1. Pensando no trabalho remoto

Se o intuito é fornecer autonomia e flexibilidade aos seus colaboradores, as empresas precisam pensar no termo “igualdade” para não priorizar apenas as equipes presenciais. 

O pensamento “remote-first” ou “remoto primeiro”, em português, visa estabelecer normas de negócios e interações efetivas entre os funcionários. 

Isso significa que é preciso ponderar o que está sendo feito para a equipe remota, auditando seus processos e garantindo que os fluxos funcionem adequadamente em ambas modalidades. 

Além disso, também vale ressaltar a importância de acomodar, de forma justa e igualitária, as solicitações dos usuários que desejam trabalhar determinados dias em casa e outros, presencialmente, visando medir o desempenho dos funcionários. 

Obter opiniões das equipes pode ser uma boa alternativa para que os trabalhadores remotos se sintam mais envolvidos, além de ser um auxílio a mais para definir as diretrizes e políticas. 

  1. Adotando ferramentas de colaboração efetivas

O home office só foi possível graças às várias tecnologias e ferramentas de colaboração, que proporcionaram uma comunicação fácil, dinâmica e efetiva entre equipes. 

Com a metodologia híbrida não poderia ser diferente!  

O ambiente colaborativo se tornará a única garantia de que todos fiquem devidamente conectados e atualizados aos projetos, informações e reuniões, independentemente de onde estejam. 

Portanto, as corporações devem investir cada vez mais em tecnologia, ferramentas, soluções e treinamentos para atender às necessidades dos colaboradores, e, ao mesmo tempo, tornar os processos mais fluídos e ágeis. 

  1. Reformulando as políticas corporativas

Migrar para a jornada híbrida tende a estabelecer dois grupos corporativos: os que disponibilizam suporte especializado e os que visam apenas oferecer autonomia e flexibilidade. 

O primeiro grupo estende suas soluções e investe em equipamentos, ferramentas, programas e demais funcionalidades para proporcionar ótimas experiências de trabalho, seja remotamente ou presencialmente. 

Por sua vez, o segundo grupo não atende às necessidades dos colaboradores, nem viabiliza cargas de trabalho eficazes e eficientes.  

O trabalho híbrido pós pandemia é uma tendência que exige que as empresas enxerguem as melhores táticas para evoluir e tornar as cargas de trabalho mais inclusivas. 

Sendo assim, os líderes de TI não podem adiar a implementação de políticas bem estruturadas para o trabalho híbrido. É necessário considerar qual dos dois grupos mais condizem com as diretrizes da empresa. 

  1. Aumentando o investimento em cibersegurança

Ambientes híbridos e flexíveis levantam diversas questões de segurança, principalmente em decorrência do crescimento de ataques cibernéticos que visam prejudicar as corporações. 

Alvos fáceis, ou seja, desprovidos de soluções de segurança, podem ser fortemente prejudicados, sofrendo vazamento de dados, paralisação de atividades e outras situações indesejadas.  

Logo, adotar treinamentos, estabelecer atualizações e investir em proteção, faz toda a diferença.  

A adoção do acesso a zero-trust network ou rede de confiança zero, também pode ser um diferencial para as empresas modernas que desejam se proteger nesse cenário. 

O Gartner aponta que até 2024, pelo menos 40% de toda a carga de trabalho remota será servida no modelo de acesso à rede-trust (ZTNA). 

Conclusão: 

O modelo de trabalho híbrido se mostrou eficaz e fundamental para muitas corporações. No entanto, implementá-lo pode ser uma tarefa um pouco mais complexa do que se imagina.  

Por isso, a TI precisa considerar todos os aspectos e se preparar para promover cargas de trabalho mais flexíveis e dinâmicas.  

Aumentar a segurança, investir em ferramentas colaborativas, reformular e atualizar antigas políticas, estabelecer jornadas justas para as equipes, dentre outras ações, é a melhor estratégia para garantir sucesso e agilidade em meio aos projetos neste novo cenário. 

80f01a82-lp-digital-02_10000000lr0gn000000028
ESPAÇOS DE TRABALHO DIGITAIS. CONHEÇA TUDO SOBRE ESTA NOVA ESTRATÉGIA COLABORATIVA.
Saiba mais

Escreva seu comentário

Posts relacionados

Personalização de software: o que é e quais os benefícios?

A personalização de software pode ser a alternativa ideal para otimizar processos e solucionar problemas corporativos, visando promover experiências aprimoradas! Entenda: 

TI flexível e eficiente: como gerenciar demandas e desafios da TI híbrida?

Entenda quais são os principais desafios da TI híbrida e como solucioná-los para estabelecer uma TI mais flexível e eficiente para os negócios! 

Nossas guerreiras balzaquianas

Consideramos como o nascimento dos canais de TI no Brasil o mês de outubro de 1991, quando foi promulgada uma lei federal que terminava com a reserva de mercado da tecnologia da informação no Brasil.