<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX WESTCON-COMSTOR
Toda informação da tecnologia está aqui.

Como proteger redes criptografadas contra malwares ocultos?

A descriptografia do tráfego de dados é uma tarefa essencial para impedir que cibercriminosos ocultem suas ameaças na rede corporativa. Veja como fazer esse processo na prática.

 

A criptografia é indispensável para manter o tráfego de rede seguro contra ciberameaças. Ela é responsável por codificar os dados para que apenas quem for autorizado conseguir acessá-las. Desse modo, evita-se que pessoas mal intencionadas interceptem o tráfego e visualizem as informações.

No entanto, da mesma forma que ela fornece proteção ao tráfego criptografado, ela pode impedir que as ferramentas de segurança e monitoramento utilizadas pelas empresas visualizem o interior dos pacotes que passam pela rede, o que tem sido muito aproveitado por hackers.

Os cibercriminosos aproveitam que muitas empresas trafegam dados criptografados em suas redes sem uma correta inspeção, eles se utilizam da criptografia para ocultar malwares e realizar seus ataques.

Para impedir essa ameaça e manter a defesa da rede ao mesmo tempo em que os riscos de violação e perda de dados são controlados é necessário descriptografar, examinar e recriptografar todo o tráfego de rede.

Mas como as empresas podem realizar essa tarefa? A resposta é simples, é necessário contar com uma solução avançada para descriptografar o tráfego de dados na rede.

A solução de descriptografia SSL/TLS da Gigamon é capaz de dar aos seus clientes visibilidade completa ao tráfego criptografado, independente da porta TCP ou aplicação. Desse modo, é possível assegurar que a rede está protegida contra brechas e malwares escondidos pela criptografada.

Quer saber mais sobre este assunto e conhecer os diferenciais da descriptografia SSL/TLS da Gigamon? Acompanhe o artigo a seguir. Boa leitura!

O que é criptografia e SSL/TLS?

A criptografia e autenticação de dados é um processo que evita que dados importantes da empresa sejam violados por pessoas mal intencionadas. Ela funciona embaralhando os dados à medida que são enviados.

Apenas o destinatário pretendido terá a chave de acesso capaz de desembaralhar os dados. O destinatário usa essa chave para decodificar corretamente as informações criptografadas para torná-las entendíveis. Desse modo, caso alguém intercepte o trajeto, terá acesso apenas a conteúdos sem sentido.

Para que esse processo funcione, é preciso que o remetente e o destinatário tenham um acordo. Caso contrário, os dois lados não teriam as informações de que precisam para criptografar / descriptografar com eficácia os dados enviados. Para facilitar esse processo, usamos vários protocolos de segurança e criptográficos - e mais comumente SSL ou TLS.

Muitas vezes, SSL e TLS são tratados como sinônimos e usados ​​de forma intercambiável. No entanto, ainda que ambos sejam protocolos de segurança, há algumas diferenças entre eles.

SSL (Secure Sockets Layer) é um protocolo de segurança projetado para proteger as comunicações entre redes de computadores. No entanto, conforme os hábitos de navegação dos usuários foram evoluindo e o volume de tráfego aumentando, um novo protocolo mais atualizado foi criado para substituí-lo.

Esse protocolo utilizado é o TLS (Transport Layer Security). Ele é essencialmente mais seguro e eficaz do que o SSL e fornece privacidade, autenticação e integridade aos dados da rede.

Como a criptografia pode ser utilizada por criminosos?

A criptografia utiliza diversas modalidades como chaves simétricas e assimétricas. De forma geral, essa ferramenta é bastante segura e efetiva, impedindo que qualquer pessoa não autorizada consiga quebrar seu sistema criptografado.

No entanto, muitos cibercriminosos se aproveitam dessa tecnologia em seus ataques. O ransomware, por exemplo, é um malware perigoso que tem feito cada vez mais vítimas.

Por meio dessas ameaças, hackers são capazes de infectar a máquina de suas vítimas e bloquear os arquivos dela com a utilização de uma chave criptográfica. Desse modo, impedem que os usuários consigam resgatar o acesso aos dados.

Para fornecer a chave de descriptografia, os criminosos pedem o pagamento de um “resgate”, o qual, nem sempre, garante a liberação das informações.

Como funciona a descriptografia SSL/TLS?

Agora que você já conhece o processo de criptografia e os protocolos de segurança, é importante entender como a descriptografia acontece.

Descriptografia é a prática de converter dados criptografados em sua forma original, ou seja, é um processo reverso à criptografia. Ele decodifica as informações para que os usuários autorizados possam entender a mensagem enviada.

Durante a descriptografia, o sistema extrai e converte os dados ilegíveis e os transforma em textos e imagens para que possam ser compreendidos pelos usuários e sistema.

Para que o processo funcione é necessário saber qual chave foi usada durante a criptografia. Ela é indispensável para que o conteúdo seja decodificado.

Como a solução de descriptografia SSL/TLS da Gigamon pode ajudar?

Realizar todo esse processo e garantir que as ciberameaças não se aproveitem da criptografia do tráfego de rede para executar seus ataques, é fundamental contar com uma solução de descriptografia ágil e eficaz.

A descriptografia SSL/TLS da Gigamon é uma solução centralizada e de alto desempenho capaz de aprimorar as ferramentas de segurança já existentes, descriptografando o tráfego para inspecioná-lo.

Ela oferece a seus clientes visibilidade total do tráfego SSL/TLS, acelerando os tempos de detecção e resposta ao expor rapidamente ataques criptografados, comandos ocultos e canais de controle, malwares e exploits de exfiltração de dados não autorizados.

A descriptografia SSL/TLS da Gigamon oferece inúmeros benefícios para as empresas. Por meio dela, é possível contar com:

  • Ferramentas legadas que podem se conectar ao ambiente de fábrica Gigamon;
  • Sem pontos cegos na rede;
  • Desempenho aprimorado das ferramentas;
  • Preservação da privacidade e conformidade dos dados;
  • Segurança máxima de sessão com os padrões criptográficos mais recentes.

Por meio dessa solução, a empresa ganhará total visibilidade e controle da quantidade cada vez maior de tráfego criptografado que circula em sua rede e das ameaças à segurança.

Sua revenda de TI já conta com a solução de descriptografia SSL/TLS da Gigamon em seu portfólio? Adquira agora mesmo essa ferramenta avançada de proteção e ajude seus clientes a eliminar todas as ciberameaças de suas redes.

Posts relacionados

Endpoint Detection and Response: o que é e quais os benefícios de uma solução EDR?

O antivírus tradicional não é mais suficiente para controlar as ciberameaças modernas. Por isso, as empresas precisam investir em soluções inteligentes para proteger todos os endpoints conectados à rede. 

5 obstáculos que devem ser superados para uma efetiva segurança de endpoint

Garantir que todos os dispositivos dos usuários conectados à rede corporativa sejam gerenciados e protegidos pela TI não é uma tarefa fácil. É necessário enfrentar alguns desafios. 

Vazamento de dados: o que as empresas podem fazer para se proteger?

O número de ciberataques tem aumentado rapidamente com o trabalho remoto. Veja como as empresas podem proteger suas informações e garantir a continuidade dos negócios.  

Escreva seu comentário