<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

BLOG SYNNEX WESTCON-COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

5G e Edge Computing: qual a relação entre estas duas tecnologias?

Exigências necessárias para viabilizar as capacidades avançadas de mobilidade, computação e armazenamento em redes sem fio 5G são atendidas pela Edge Computing. 

Um dos tópicos mais discutidos, há anos, pela liderança mundial de TI é a segurança de dados. Com o avanço expressivo e constante da tecnologia, é indispensável contar com mecanismos inteligentes que além de sustentar essa evolução de maneira eficiente e rápida, sejam seguros.  

Para atender a essa demanda, foi criada a computação em nuvem, o formato de armazenamento de dados mais seguro do mercado que atende a diversos requisitos operacionais com primazia.  

No entanto, ainda existem diversos aplicativos e dados que não podem ser migrados e operados em cloud. Justamente por isso, é fundamental refletir a relação entre tecnologias emergentes; analisar a forma com que o 5G se relaciona com multicloud, incluindo a Edge Computing, pode ser um primeiro passo estratégico. 

Acompanhe o post e entenda por que o 5G precisa da tecnologia Edge Computing para assegurar operações de excelência em qualquer local no mundo e fortalecer a preparação da sua revenda de TI. Boa leitura! 

Qual a relação entre a Edge Computing e a tecnologia 5G? 

Os dispositivos de Edge Computing, especialmente os que adotam a IoT, dependem do acesso da rede à nuvem para operar. Em ambientes corporativos, muitas dessas ferramentas foram implementadas em redes mais antigas, apresentando problemas complexos de conectividade. 

Contudo, independentemente dessa deficiência comum, dispositivos com sensores sem fio crescem vertiginosamente no mercado. Portanto, as organizações precisam se adaptar para acompanhar a evolução tecnológica e ser capaz de usufruir seus benefícios com qualidade. 

Em outras palavras, as empresas precisam investir em banda larga maior, distribuição de rede mais expressiva, segurança para proteger e gerenciar dados, densidade da conexão, dentre outros para que esses recursos tecnológicos inteligentes possam operar e proporcionar evoluções estratégicas. O 5G oferece todas essas qualidades. 

Para simplificar essa compreensão, considere um sistema 4G. Em um quilômetro quadrado, essa tecnologia pode suportar até 2.000 equipamentos ativos. Já o 5G, até 100.000 dispositivos. Ou seja, ele tem capacidade 50 vezes maior do que a sua versão anterior e por isso, seria a opção mais apropriada para uma transformação digital. 

Empresas que não optarem por essa versão ficarão para trás da concorrência e não serão capazes de se beneficiar de outros recursos digitais avançados. 

Baixar E-book

Por que o 5G precisa da tecnologia Edge Computing? 

Entenda a importância da Edge Computing para a rede sem fio 5G analisando essas vantagens excepcionais: 

1) Aumento do desempenho por usuário 

A Edge Computing é capaz de rastrear o usuário na rede 5G, empregando softwares que direcionam eletronicamente o seu sinal melhorando a eficiência, desempenho e usabilidade. Ou seja, oferece uma conectividade consistente aos equipamentos conectados a rede. 

Com isso, desenvolvedores podem explorar os benefícios do 5G com mais liberdade e oferecer soluções mais compatíveis com as aplicações do mercado, tais como operações de realidade virtual e aumentada, análises de vídeo e fala, monitoramento remoto, vídeo-segurança, automação, e assim por diante. 

2) Maior segurança para a tecnologia 5G 

Como já dissemos, muitas das novas tecnologias 5G são orientadas para a Internet of Things (IoT). Esses recursos necessitam de qualidades técnicas expressivas para funcionar corretamente, tais como baixa latência, capacidade de rede e, principalmente, segurança.   

A Edge Computing estende sistemas de proteção virtualizados nas redes principais, com gateways de validação, superiores aos de datacenters centralizados. Deste modo, fabricantes de dispositivos de IoT e equivalentes terão maior integração e segurança de dados. 

3) Facilidade na tomada de decisões 

A Edge Computing também pode fornecer dados estratégicos para melhorar a atuação geral da tecnologia 5G no mercado. 

Desempenho do produto ou serviço, qualidade dos componentes, funcionalidade por segmento, compatibilidade técnica, são alguns exemplos de dados que podem ser explorados. Assim, profissionais de TI podem tomar decisões operacionais e estratégicas com base em informações seguras e precisas. 

4) Otimização no controle de dados 

A tecnologia 5G incorpora a Edge Computing em redes sem fio, ao lado de novos recursos digitais e padrões de código aberto, para administrar dados em toda rede. Ou seja, controlar as informações trocadas por todas as fatias da rede, tais como acessos via rádio, transporte virtual, e assim por diante.  

Com isso, os processos ganham uma supervisão mais eficiente, permitindo que as aplicações sejam mais precisas e as correções mais dinâmicas. 

Portanto, a Edge Computing é fundamental para as novas aplicações desenvolvidas para redes 5G, porque acelera a internet aprimorando a gestão de conteúdo local, otimizando a eficiência da rede e melhorando o sistema de segurança.  

Posts relacionados

5 dicas para melhorar a colaboração virtual no home office

A tendência do home office, impulsionada em um primeiro momento pela pandemia do coronavírus e a necessidade de isolamento social, veio para ficar. 

Como adaptar o desempenho de redes das operadoras regionais às mudanças no consumo de banda?

Cada vez mais, as plataformas on-demand, serviços de streaming e aplicações na nuvem estão se tornando realidade no dia a dia dos brasileiros. Esses serviços possibilitam aos usuários consumirem ou acessarem conteúdos em tempo real por meio de uma conexão de qualidade.

Impactos da pandemia na Transformação Digital de Empresas

Ninguém poderia imaginar que o novo coronavírus (Covid-19) iria se espalhar pelo mundo e alcançaria o nível pandêmico, forçando todos – empresas e pessoas – a se adaptarem a uma nova realidade: o trabalho remoto.

Escreva seu comentário