<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

BLOG SYNNEX WESTCON-COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

Como garantir a mesma visibilidade e compliance após a migração para Nuvem?

Ao passar a utilizar múltiplas nuvens, as empresas precisam lidar com o desafio de gerenciar diferentes serviços e regras. Veja como ser bem-sucedido nessa missão! 

 

As empresas precisam lidar com ambientes cada vez mais complexos que contam com inúmeros usuários utilizando diferentes dispositivos, colaboradores trabalhando a distância e o aumento do uso de serviços em nuvem.  

Para lidar com essa nova realidade, a TI precisa enfrentar o desafio de proteger esse número crescente e distribuído de dispositivos e novas aplicações. No entanto, as ferramentas de segurança tradicionais não são mais capazes de detectar ameaças com alta confiança e responder a ataques rapidamente devido à falta de visibilidade e contexto. 

Mas afinal, como fazer isso? Acompanhe o conteúdo a seguir e descubra! 

Como garantir a visibilidade da rede corporativa após migração para Nuvem? 

As redes corporativas estão mudando rapidamente conforme as empresas embarcam na Transformação Digital e adotam, cada vez mais, serviços em múltiplas nuvens. Tudo isso aumenta a superfície de ataque, tornando os ambientes mais complexos.  

Proteger esse novo ambiente e barrar ciberameaças mais sofisticadas e inteligentes tem sido um grande desafio para a TI, pois a visibilidade acaba sendo comprometida devido a tanta complexidade. 

Como resultado, os tempos de resposta atrasam e as equipes geralmente não conseguem fazer a triagem de todos os alertas com precisão, permitindo que ameaças potenciais passem despercebidas. 

Por isso, é necessário investir em uma plataforma que integre todas as nuvens e viabilize o controle delas em um único local. Ela possibilita ainda a simplificação operacional, o que na prática significa mais visibilidade, mais segurança e menor custo. 

A solução é: uma plataforma de gestão integrada 

Por meio da centralização da gestão de todas as aplicações com uma plataforma única, os dados e nuvens, as empresas poderão contar com a simplificação do processo, além de reduzir investimentos em capacitação, pois a TI não precisará aprender a configurar e operar inúmeras nuvens.  

Uma plataforma de gerenciamento eficiente ainda irá impactar diretamente nos custos e na segurança, pois diminui a complexidade de gestão dos ambientes e, consequentemente, os erros humanos.  

Portanto, essa gestão integrada irá garantir não apenas mais visibilidade na Nuvem, mas também reforçar a proteção de dados, tornando a infraestrutura mais resiliente. 

Assim, caso um provedor falhe, a empresa não precisará lidar com longos períodos de indisponibilidade, pois será possível contar com uma segunda opção. Com o gerenciamento integrado, inclusive, é possível escolher a melhor nuvem para cada um de seus serviços, sem se preocupar com especificidades técnicas de cada provedor.  

Como ter uma nuvem segura?

E como garantir compliance na nuvem? 

Compliance é o termo utilizado para representar aquelas organizações que estão em conformidade com todas as leis e regulamentações de seu setor. Em TI, essas normas são voltadas ao uso de tecnologias, políticas de acesso e privacidade de dados dos usuários. 

As normas de compliance devem abranger todas as políticas, controles internos e externos das atividades das organizações, além de todas as possíveis legislações aplicadas a seus processos. 

Uma vez que a empresa está utilizando múltiplas nuvens, manter a conformidade torna-se um grande desafio. Há uma preocupação em como o provedor de nuvem irá ajudá-la a permanecer em compliance com as leis, como a LGPD no Brasil, por exemplo. 

Estar preparado para realizar uma identificação em tempo real de não conformidade e prevenção de possíveis problemas é crucial para as empresas que querem adotar modelos de negócios digitais bem-sucedidos. 

Portanto, é necessário adotar um conjunto de regras de compliance para que seja possível estruturar processos de segurança de dados, além de colocar em prática medidas preventivas e de mitigação de erros. Assim, é possível garantir que a empresa aja em conformidade com todas as normas. 

Para ter certeza de que a empresa está compliance ao migrar para nuvem é importante fazer 3 avaliações: 

  • Externa: mapear quais são as normas e legislações impostas pelo governo ou agências reguladoras que incidem sobre dados, processos e rotinas suportados pelos sistemas e infraestrutura da organização; 
  • Interna: definir padrões e políticas sobre o acesso aos dados que interferem diretamente sobre a maneira como os sistemas são implantados e a infraestrutura da TI é organizada; 
  • Provedor da Cloud Computing: geralmente, os provedores de serviços em Nuvem atendem diversas normas e contam com várias certificações para estar compliance com a maioria dos clientes. Por isso, é necessário verificar se eles são capazes de atender a todas as regras de sua organização. 

Para usufruir de todas as possibilidades da computação em nuvem, viabilizando e acelerando as iniciativas de transformação digital de seu negócio, é necessário investir na visibilidade e compliance desses ambientes. Apenas assim será possível aproveitar todos os benefícios de utilizar múltiplas nuvens. 

Posts relacionados

Como adaptar o desempenho de redes das operadoras regionais às mudanças no consumo de banda?

Cada vez mais, as plataformas on-demand, serviços de streaming e aplicações na nuvem estão se tornando realidade no dia a dia dos brasileiros. Esses serviços possibilitam aos usuários consumirem ou acessarem conteúdos em tempo real por meio de uma conexão de qualidade.

Impactos da pandemia na Transformação Digital de Empresas

Ninguém poderia imaginar que o novo coronavírus (Covid-19) iria se espalhar pelo mundo e alcançaria o nível pandêmico, forçando todos – empresas e pessoas – a se adaptarem a uma nova realidade: o trabalho remoto.

O que é Edge Computing e quais os impactos para os negócios?

Essa tecnologia é capaz de reduzir o tempo de resposta do processamento de dados corporativo, além de aumentar a segurança e compliance. Veja como as empresas podem se beneficiar.  

Escreva seu comentário